sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

ATENÇÃO ALUNOS DO CURSO DE LICENCIATURA DA UFF

A professora Mônica Souto da Silva Dias pediu para divulgar o projeto "Elaboração de Propostas pedagógicas de Matemática por meio do trabalho colaborativo".
O projeto trata de um trabalho colaborativo que integrará professores de Matemática do Colégio Universitário Geraldo Reis – COLUNI, a autora deste projeto e licenciandos em Matemática, com o objetivo de refletir e problematizar questões do ensino e aprendizagem de matemática e, como consequência deste estudo, elaborar propostas pedagógicas para a superação de dificuldades observadas. Pretende-se elaborar e experimentar uma sequência didática sobre um conteúdo matemático da Educação Básica selecionado a partir de reflexões sobre a prática docente do professor de Matemática do COLUNI. Ressalta-se também a contribuição do projeto para a formação inicial dos licenciandos em Matemática que participarão do projeto.
Quem tiver interesse em participar do projeto deve entrar em contato com a professora pelo e-mail "msoutodias@gmail.com".

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

JORNAL DÁ LICENÇA N° 69 ESTÁ NO AR

"Temos que lembrar que em 2017 começa o biênio da Matemática e muitas atividades estão sendo planejadas para comemorar este fato. O Brasil será sede, pela primeira vez, da Olimpíada Internacional de Matemática que acontecerá no Rio de Janeiro de 12 a 23 de Julho de 2017 e do Congresso Internacional de Matemática em 2018. Entre as iniciativas de popularização da Matemática, acontecerá o Festival da Matemática de 27 a 30 de abril de 2017 organizado pelo IMPA e pela SBM. O Instituto de Matemática e Estatística da UFF também vai se juntar às comemorações. Várias atividades, incluindo um número especial do Jornal, estão sendo planejadas. Convidamos vocês a fazer parte das comemorações."

sábado, 20 de agosto de 2016

JORNAL DÁ LICENÇA - Edição nº 67 no ar!

Acabou de sair do forno a nova edição do Jornal Dá Licença. Este número conta com uma homenagem ao professor Ubiratan D’Ambrosio, professor da Pós-Graduação em Educação Matemática da Universidade Anhanguera de São Paulo - UNIAN. Ganhador de diversos prêmios, o professor Ubiratan D’Ambrosio foi reconhecido por seus esforços intermináveis através da escrita e de palestras para promover a Etnomatemática, bem como, contribuindo intensamente para tornar o campo estabelecido.

Confira todos os detalhes desta linda homenagem clicando aqui!

terça-feira, 12 de julho de 2016

Aplicativos para auxiliar os estudantes com a Matemática no dia a dia!




Muitas pessoas encaram a matemática como algo chato e difícil de entender. Para mudar esse pensamento, existem alguns aplicativos que podem facilitar o estudo da disciplina e fazer qualquer interessado aprender de forma divertida e interativa! Aqui trazemos alguns deles:


Rei da Matemática

Com versões gratuitas e pagas, o aplicativo transforma a rotina matemática em um exercício lúdico e interativo. No Rei da Matemática (Android e iOS), os usuários moram em um reino cujos desenvolvimentos pessoal e do ambiente ao redor depende da realização de diversos problemas matemáticos. Aí entram questões aritméticas de adição, subtração, raízes e frações, entre outras. É bastante útil para auxiliar os alunos ainda pouco familiarizados com as continhas.




Math You

Esse aplicativo é, literalmente, um gerador de contas. O MathYou gera tanto operações simples (como adição, multiplicação, potenciação), quanto expressões e equações complexas, com frações, potências e raízes. Ele é perfeito se você quer treinar sua habilidade em resolver contas.







Cola Matemática

Gratuito e inteiramente em português, o Cola Matemática (Android) serve como um professor virtual dos exercícios que tiram as noites de sono dos seus filhos. O app não apresenta apenas o resultado final dos problemas matemáticos, mas aponta, passo a passo, todo o desenvolvimento do cálculo, ensinando os estudantes a compreender como o exercício é resolvido.



Math Helper

Cumpre funções semelhantes às do Cola Matemática no sistema operacional da Google. Além de álgebra, probabilidade e plotador de gráficos, o app estende sua funcionalidade para áreas mais abordadas na universidade, como derivadas e integrais. Essas funcionalidades ficam de fora da versão gratuita do app. A opção paga custa R$ 8, e a avaliação dos usuários na loja de apps do Android é excelente – o que, normalmente, significa que o investimento vale a pena.



Matemática Elementar

Voltado para aqueles alunos do Ensino Médio que precisam de um reforço em diversos fundamentos matemáticos, esse aplicativo é gratuito e totalmente em português. O app Matemática Elementar (Android) permite que os estudantes identifiquem melhor as próprias dificuldades e, com isso, possam trabalhá-las com exercícios e aulas voltados para conteúdos variados, como funções, conjuntos numéricos e inequações, por exemplo.


Math Drills Lite

Nesse caso, o aplicativo é em inglês, o que pode exigir certo conhecimento dos pais que desejam colocar as primeiras habilidades matemáticas dos filhos à prova. O Math Drills Lite (iOS) é gratuito e possui uma interface bastante intuitiva, conduzindo os usuários a exercícios práticos sobre fundamentos básicos aritméticos, como adição, subtração, multiplicação e divisão. E o melhor é que dispõe de um gráfico de desempenho individual excelente para avaliar pontos fortes e fracos.


SAT Math Trainer

O SAT é um exame muito popular nos Estados Unidos. Bem parecido com o nosso ENEM aqui, serve como prova de aptidão para ingressar no ensino superior. Com o SAT Math Trainer (iOS), alunos do Ensino Médio podem testar suas habilidades matemáticas com mais de 10 mil questões que se dividem em álgebra, geometria e estatísticas. Disponível apenas em inglês e em versões pagas, o aplicativo é realmente desafiador para testar os conhecimentos dos alunos nas ciências exatas. E, no caso dos brasileiros, ajuda até a treinar o segundo idioma!



MyScript Calculator

De visual simples, mas bastante interativo, o aplicativo permite que pais e alunos escrevam as operações desejadas na tela, convertendo sua própria caligrafia em operações. O resultado aparece automaticamente na sequência. O MyScript Calculator (Android e iOS) é gratuito e adequado para todas as idades, servindo como um auxiliar de peso para que seus filhos confiram os resultados dos exercícios praticados em casa — desde que os tenham feito antes, claro.






Pense + ENEM

O ENEM é uma etapa muito presente no cotidiano escolar dos alunos do Ensino Médio. E sabia que preparar seus filhos para a prova pode ser mais fácil que tirá-los da cama pela manhã? O Pense+ ENEM (Android) é um aplicativo gratuito que reúne todas as provas do ENEM desde 2007, totalizando quase 1.500 questões para seus filhos testarem suas habilidades com exercícios que fizeram parte da história do exame. E ainda há espaço para o aluno checar seu desempenho nas provas!




AppProva

Gratuito e em português, o AppProva (Android e iOS) reúne provas do ENEM e de outros vestibulares, além de contar com simulados semanais e questões que replicam métodos usados nas provas. E o mais bacana é que o sistema de avaliação empregado é o TRI (Teoria de Resposta ao Item), mesmo método usado pelo MEC para medir o grau de conhecimento do candidato a partir de questões fáceis, médias e difíceis. Com ele, calcula-se a média estatística e probabilística de acertos e não apenas a quantidade de respostas certas. Trata-se de um programa complementar aos estudos, com dicas e exercícios para que seus filhos tenham ainda mais chances de serem aprovados nas provas mais concorridas do país.


TrainBrain


Gratuito, o aplicativo trabalha o raciocínio lógico e os reflexos a partir de cálculos exigidos pelo programa. Disponível em inglês e outros idiomas (infelizmente, exceto em português), o TrainBrain (Windows Phone) desafia crianças e jovens a encontrarem soluções de uma maneira mais ágil e efetiva, essencial para o cumprimento de exercícios matemáticos.



MatchUp


Não é só de cálculos que se sustenta a Matemática. Da mesma forma que o TrainBrain exercita o raciocínio lógico, o MatchUp (Android) também trabalha a maneira de pensar de crianças e jovens. O jogo tem o objetivo de fazer com que os usuários vejam imagens na tela para, na sequência, encontrarem os pares com o menor número de tentativas possível. Conta com diversos níveis para desafiar cada vez mais a memória.





Lumosity

O cérebro atua como uma espécie de músculo que, quanto mais for trabalhado, mais se aperfeiçoa. E é aí que entra o Lumosity (iOS) com mais de 25 jogos cognitivos que trabalham diferentes áreas do cérebro, adaptando-se ao desempenho dos usuários para desafiá-los continuamente a encontrar soluções não só para problemas matemáticos, mas para outras atividades do dia a dia que também exigem concentração.






iMathematics


Mais que um programa para resolver problemas matemáticos, o iMathematics (Android, iOS e Windows Phone) se propõe a ensinar a disciplina em tópicos dedicados a geometria, aritmética e trigonometria, como estatísticas, equações, fórmulas, álgebra linear, vetores, matrizes, cálculo com números complexos, funções de enredo e o cálculo de raízes e extremas (polinomial, racional, exponencial e assim por diante), entre outras funcionalidades. Existem versões gratuitas e pagas do aplicativo, que é um dos mais populares do gênero.



GeoGebra Calculadora Gráfica

Fácil de usar, o GeoGebra é uma poderosa calculadora gráfica que permite lidar com construções geométricas dinâmicas, equações, coordenadas, gráficos de funções e formas. E você também pode fazer desenhos à mão livre com o reconhecimento de formas pelo app! Ele ainda conta com o In-app que busca de milhares de materiais de aprendizagem gratuitos criados e partilhados por alunos e professores de todo o mundo. Disponível para Tablets (Android e Windows) e Ipads. Para smartphones, disponível somente na plataforma Android.




O Blog do Dá Licença ainda vai atualizar essa lista! Fique ligado aqui e na nossa página do Facebook !





terça-feira, 21 de junho de 2016

De acordo com Matemática, fazer xixi no banho é melhor pro mundo!



Campanha da ONG SOS Mata Atlântica

O site IFL Science partiu da lógica de que toda vez que uma pessoa faz xixi, ela dá uma descarga.

Essa informação foi somada a outros dois dados. O primeiro é uma pesquisa feita pela ONG Home Water Works, que mostrou que a quantidade de água utilizada por uma descarga média em uma privada é de seis litros.

O segundo é um estudo feito pela Cleveland Clinic, nos EUA, que revelou que um adulto urina cerca de sete vezes a cada 24 horas.



Ao multiplicar a média de litros usada por uma descarga pela quantidade de vezes que um adulto urina por dia, o IFL descobriu que uma pessoa gasta 42 litros de água diariamente somente com a descarga.

Esse número foi multiplicado por 365 (quantidade de dias que completa um ano) para que chegasse ao final da conta: um absurdo de 15.330 litros de água usados em descarga por cada pessoa.

Como apenas 48,6% da população brasileira (ou seja, cerca de 100 milhões de habitantes) tem acesso à coleta de esgoto, a quantidade de água jogada fora por ano no Brasil para limpar a urina depositada no vaso sanitário é de mais ou menos 1,5 trilhão de litros.

Agora, se cada pessoa urinar uma vez no banho, restarão apenas outras seis vezes para a privada. A economia de água por cada indivíduo ao longo de um ano será de 2.190 litros.

Se estendermos esse valor para a parcela dos cidadãos brasileiros que tem coleta de esgoto em suas casas, nós salvaríamos cerca de 219 bilhões de litros de água a cada ano. Um número considerável.

E aí? O que acha da ideia?
Em parte graças à mudança climática causada pelo homem, e em parte graças ao uso ineficiente dos recursos hídricos, abastecimento de água ao redor do mundo estão rodando incrivelmente baixo. Então vá em frente, faça o planeta um favor, faça xixi como você quiser no chuveiro.



quarta-feira, 15 de junho de 2016

"O Brasil precisa de matemática"


Marcelo Viana, diretor do IMPA do Rio.
"O Brasil precisa de matemática", diz o carioca Marcelo Viana, diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) do Rio, que citou à imprensa, no último dia 08, o caso real de uma vendedora de castanhas de caju que oferecia um pacote por R$ 3 e dois por R$ 5, mas se recusava a vender três por R$ 10 por considerar um mau negócio.

"Não estamos falando de profissão tecnológica, e sim de vender castanha de caju. A matemática também entra nesse nível. O país tem que encarar isso como uma prioridade", afirmou.

Nem sempre a matemática foi um bicho papão.

Segundo o pesquisador, o Brasil, que é uma potência mundial na pesquisa em matemática, precisa se tornar também uma potência mundial nas salas de aula. 

A matéria precisa ser valorizada e se tornar "mais atraente, criativa e próxima das pessoas". Para isso, o papel das famílias é fundamental, diz ele.

"A matemática é um barato. É preciso mostrar isso para a criança desde cedo. Nosso diagnóstico é que o bicho-papão da matemática não existe nos primeiros anos", afirma.

"As crianças gostam de matemática, mas como ela é ensinada nas escolas e a falta de relevância dada pelas famílias faz com que a criança vá se afastando da disciplina."

A área, explica, começa a se tornar um "bicho-papão" para as crianças a partir dos nove anos de idade.

"Pai que diz à criança que ele nunca gostou de matemática está passando o sinal de que não é importante conhecer o assunto", completa.


Viana (no meio) durante a premiação.

Viana recebeu o Grande Prêmio Científico Louis D. por sua obra sobre sistemas dinâmicos - ramo da matemática que estuda fenômenos que se desenvolvem ao longo do tempo -, utilizados em ecossistemas, previsão do tempo, trânsito e movimentos planetários, por exemplo.

A honraria, dada pela primeira vez na área da matemática, é concedida pelo prestigioso Institut de France, que reúne as cinco academias do país, entre elas a de Letras (fundada em 1635), a de Ciências e a de Belas-Artes.

O brasileiro dividirá o prêmio de 450 mil euros (cerca de R$ 1,8 milhão) com o matemático francês François Labourie, da Universidade de Nice, por outro trabalho também na área de sistemas dinâmicos.

Segundo as regras da premiação, 90% do montante distribuído deve ser destinado a pesquisas.



Fonte: BBC e O Globo

terça-feira, 14 de junho de 2016

Cineclube do Da Licença "A Quarta Dimensão"


A Quarta Dimensão - comentários por Étienne Ghys, um dos autores do filme.
Étienne Ghys (ENS de Loyn - França)







Clique na imagem para ampliar.